O Segredo dos Carros

Captura de tela 2013-05-22 às 16.30.10

Hoje vou falar sobre um livro que li e gostei! O Segredo dos carros. Nesse livro ele dá dicas de como comprar um carro usado, como não ser enganado e economizar de R$ 1000 a R$ 5000.

Se quiser saber mais sobre esse livro, acesse o link abaixo:

http://hotmart.net.br/show.html?a=M507605F

Eu gostei bastante e acho que você também irá gostar!

Troca de óleo… o que devo saber?

Bom dia a todos!

Hoje vou falar um pouco sobre a troca de óleo. Muitas pessoas acham que deve ser feito apenas a troca do óleo, mas tem outras coisas que precisam ser trocadas também nessa hora.

Por exemplo, o filtro de óleo, se trocar o óleo e não trocar o filtro é a mesma coisa de tomar banho e não trocar de roupa… rs. O filtro faz a filtragem do óleo, fazendo com que o óleo tenha um melhor desempenho. Outras coisas que podem ser trocadas também, aproveitando a troca de óleo, podem ser o filtro de combustível e o filtro de ar.

São dois tipos de óleos que podem ser usados, os óleos minerais e os sintéticos. Em média a troca de óleo, custa R$ 150, com troca de filtros e com óleos minerais. A duração da maioria dos óleos minerais é de 5 mil km. Existem também os que duram 10 mil km, mas esses são mais caros.

Não deixe que te passem a perna na troca do óleo, normalmente motores menores consomem menos óleo, em torno de 3 a 4 litros e motores maiores em torno de 5 litros.

Espero que essas dicas ajudem um pouco.

Se gostou, compartilhe!

Um sonho realizado

English: Chevrolet Vectra Sedan (Opel Astra H ...

(Photo credit: Wikipedia)

Em 1994 foi lançado no mercado brasileiro o substituto do Monza. Chegava o Vectra GSI. Um beleza de carro, lindo, moderno e parecia muito maior que o Monza. Ali começava o meu sonho de ter um.

Em 1996, ele mudou e mudou pra melhor, o Vectra “tubarão” era perfeito! Conseguia ser bem mais bonito que sua primeira geração, causando um desejo muito maior de tê-lo. Nessa época eu já me imaginava dirigindo um desses possantes.

A cada ano que se passava o desejo de ter um carro desses só ia aumentando, e eu ainda nem tinha 18 anos ainda… mesmo assim a vontade de andar e ter o carrão era demais.

Os anos se passaram, os 18 anos também, mas a grana para comprar o Vectra não chegou… Chegava então o modelo Millenium, o Vectra “tubarão” tinha recebido um facelift, ficando mais quadrado e mais bonito ainda… fiquei doido para ter um, mas a grana continuava curta. Nessa época estava terminando a faculdade de publicidade e fechando a minha primeira empresa a Art7 Publicidade, os tempos estavam difíceis.

Com a dificuldade de realizar meu sonho de ter um Vectra, passei a admirar outro carro maravilhoso, que conto a história em outro post, o Astra. Mesmo assim não desisti de comprar um Vectra, nem que fosse o mais antigo de todos.

Com o passar dos anos, me estabeleci no mercado publicitário, casei e precisa de um carro maior, pois possuía um Palio, e a família iria crescer.

Chegou a hora de ter um carro sedan, com bom porta-malas para caber as coisinhas do neném. Eu tinha acabado de voltar de Palmas-TO onde, eu e a Michelly, moramos por quase dois anos, quando resolvemos trocar o carro.

Foi então que em abril de 2011, olhando vários carros que me deparei com o tão sonhado Vectra. Ele estava saindo de linha, eu sabia disso, então era a minha chance de ter o carro dos meus sonhos. Por estar saindo de linha, ele estava com uma promoção muito boa.

Realizei meu sonho! Comprei um Vectra Elegance, completinho…. como nunca imaginei. Estou a dois anos com ele, perfeito. Realmente a Chevrolet fez um carro bom e que pude aproveitar, mesmo ele saindo de linha.

Agora terei que passar para uma nova etapa, provavelmente ele fará parte do meu passado, mas que guardarei nas minhas lembranças como um dos sonhos que pude realizar.

Espero que não precise me desfazer dele, pois gostaria ainda de ficar com ele por muito tempo. Quem quiser comprar um, EU RECOMENDO!

 

Maverick, concorrente a altura?

Fotos Post MAverick

Por volta da década de 1960, o Brasil passava por uma fase onde não haviam muitos carros no mercado, tendo assim, uma enorme lacuna entre as categorias de entrada, onde a Ford possuía o Corcel e a de luxo, onde tinha o Galaxie.

Portanto era necessário criar um produto intermediário, mas que caísse ao gosto do povo brasileiro, por esse motivo a Ford fez uma pesquisa as cegas com milhares de consumidores, onde apresentaram o Taunus, o Cortina, o Maverick e até um Opala, cedido pela General Motors do Brasil. O que mais agradou o brasileiro foi o Taunus, mas a sua produção foi inviabilizada por conta dos altos custos de produção.

Sobrou então para a Ford do Brasil produzir o americano Maverick, com motor de 6 cilindros da Willys, para baratear e facilitar a sua produção. Os motores Willys são da década de 30, causando um enorme mal-estar e “queimando” o Maverick mesmo antes de seu lançamento.

O carro chegou ao mercado brasileiro em 1973, já causando um burburilho pela sua motorização de 6 cilindros Willys e depois com os potentes 302 V8 que seriam importados do México.

A principal fonte de críticas do Maverick no Brasil foi o motor de seis cilindros herdado do Willys / Itamaraty. Pouco potente, ele acelerava de 0 a 100 km/h em mais de 20 segundos e seu consumo era bastante elevado, o que deu ao Maverick a fama de ‘beberrão’ que muito pesou nos anos da crise do petróleo. Era um motor que “andava como um quatro cilindros e bebia como um oito”, como era falado na época. Na verdade esse motor, em algumas faixas de velocidade, consumia até mais do que o motor de oito cilindros.

O Ford Maverick nacional teve sua produção encerrada em 1979, após 108.106 unidades produzidas. Muito pouco em relação ao Opala que teve sua produção encerrada após 20 anos e mais de um milhão de unidades.

O Maverick ficou marcado pela fama de beberrão e lento, causando assim a paralização de sua produção.

Espero que gostem de saber um pouco sobre essas histórias. Comente abaixo e conte também sua história sobre carros. Fico no seu aguardo.

Como começar?

Primeiramente, boa noite!

Sou Fábio Borges, publicitário, pai, marido, torcedor do São Paulo e loucamente apaixonado por carros. Hoje, conto para vocês, um pouco sobre minha paixão por automóveis.

Tudo começou quando ainda criança descobri essas “belezinhas”. Sabia todas as marcas e modelos existentes na época, para uma criança de 02 ou 03 anos, isso era muito… mas desde então sei que realmente sou apaixonado por carros.

Sempre quis trabalhar com algo relacionado a carros, já tive vontade de montar loja de som automotivo, revenda de carros, e até montei um lavaja­­to com meu irmão, foi o mais próximo que consegui chegar do meu sonho de trabalhar com algo relacionado a carros. Procurei cursos de design automotivo, mas isso é bem difícil de achar. O que me sobrou foi escrever sobre as minhas paixões e experiências com carros, para falar a verdade, acho que fiquei com a melhor parte.

A partir de hoje, começo um novo ciclo, escrevendo e me divertindo falando sobre o que realmente gosto e espero que vocês também gostem e se divirtam com meus posts.

Até o próximo post!

Gostou? Então deixe o seu Comentário abaixo 🙂

A mensagem foi enviada (voltar)